taquente

Hoje: 500 dias

In Uncategorized on setembro 29, 2009 at 9:03 pm

Festival de cinema do Rio conta com palestra de apresentação do filme  (500) Dias com ela, do diretor Marc Webb

 

“Quando Tom, azarado escritor de cartões comemorativos e romântico sem esperanças, fica sem rumo depois de levar um fora da namorada Summer, ele volta a vários momentos dos 500 dias que passaram juntos para tentar entender o que deu errado. Suas reflexões acabam levando-o a redescobrir suas verdadeiras paixões na vida”. Esse é o resumo do filme (500) Dias com ela, filme apresentado hoje (29 de setembro de 2009) no Festival de cinema do Rio de Janeiro.

O diretor Marc Webb, de (500) Dias com ela, também está no Brasil e participará de evento de imprensa e da Première do filme no Odeon BR durante o Festival do Rio. Premiado diversas vezes pela MTV, Marc Webb confirmou seu sucesso, recebendo também neste ano o prêmio de melhor diretor de vídeo de Rock no MTV VMA pelo clip do Green Day. (500) Dias com ela marca sua estreia na direção cinematográfica. O filme tem previsão de estreia para 13 de novembro com distribuição da Fox Film. Esse é o primeiro longa-metragem de Marc Webb, consagrado diretor de clipes musicais que trouxe para sua estréia no cinema uma linguagem atual e descolada. A trilha sonora é mais um diferencial e traz clássicos como The Smiths.

Confira abaixo o trailler oficial do filme

Cinema em Ipanema

In Uncategorized on setembro 29, 2009 at 8:02 pm
 

 

 

Vista panorâmica do Rio de Janeiro

Vista panorâmica do Rio de Janeiro

 

O Festival do Rio surgiu em 1999 da fusão de dois dos maiores festivais de cinema do país: o Rio Cine Festival – que existia desde 1984 – e a Mostra Banco Nacional de Cinema, criado em 1988. Este ano, o Festival do Rio comemora sua décima edição com atrações que começaram no dia 25 de setembro e duram até o dia 9 de outubro.

Walkiria Barbosa, criadora do Festival e diretora do CIMA – Centro de Cultura, Informação e Meio Ambiente disse que foi uma união muito importante, porque as duas mostras estavam em seu melhor momento. Na época, Walkiria dirigia o Rio Cine e com Ilda Santiago, diretora do Grupo Estação, entendeu que uma fusão entre os encontros de cinema multiplicaria a extensão dos dois festivais.

Os principais vencedores do festivais de Cannes, de Sundance, de Veneza e do Oscar são apresentados ao público brasileiro durante o Festival do Rio. Hoje o Festival do Rio exibe mais de 300 filmes inéditos no Brasil e na maior parte do mundo, confirmando sua importância como centro de debate cultural, com palestras e discussões sobre o que há de mais atual na criação cinematográfica.

O Festival do Rio consolidou-se também como plataforma para negócios internacionais. Durante duas semanas são realizados seminários, painéis e showcases nas áreas de distribuição, co-produção, tecnologia e negócios. Os principais nomes da indústria do cinema não apenas participam do Festival, como se tornaram parceiros.

Cora Coralina

In Uncategorized on setembro 29, 2009 at 3:05 pm

Museu da Língua Portuguesa abre mostra ‘Cora Coralina’

Painel do Museu da Língua Portuguesa

Painel do Museu da Língua Portuguesa

A poetisa goiana Cora Coralina completaria 120 anos em 2009. Por conta disso, o Museu da Língua Portuguesa deixa em cartaz, de hoje a 13 de dezembro, a exposição Cora Coralina – Coração do Brasil.

Detalhes da vida e da residência de Cora são apresentados em um grande painel com imagens de seu universo. O acervo pertence ao Museu Casa de Cora Coralina e à sua filha, Vicência Brêtas Tahan.

Daniela Thomas e Felipe Tassara assinam a cenografia da mostra. O cenário lembra as velhas janelas coloniais e os balaústres da ponte que fica ao lado da casa de Cora Coralina.

São expostos documentos como cartas, livros, fotos e recortes. Destaca-se um caderno onde Cora colava fotos e escrevia um poema para cada imagem.

Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, a Cora Coralina, começou a escrever aos 14 anos. É dessa época seu livro de contos Tragédia na Roça. Ela produziu obras em que expressava o cotidiano do interior brasileiro.

A poetisa viveu em São Paulo e no interior do Estado, dos anos 1910 a 1950. Morreu em Goiânia, em 1985.

Cora Coralina – Coração do Brasil. Museu da Língua Portuguesa. Estação da Luz, Pça. da Luz, s/n. Tel. (011) 3326-0775. Terça a dom.: das 10h às 17h. Última terça do mês: das 10h às 22h. Até 13/12. R$ 6. Livre.